O trabalhador terceirizado e a percepção da precarização do trabalho: um estudo de caso em uma instituição pública brasileira

Autores

  • Rosane Alves de Almeida Atayde Defensoria Pública da União

DOI:

https://doi.org/10.46901/revistadadpu.i16.p221-240

Palavras-chave:

Trabalhadores terceirizados. Precarização do trabalho. Reforma trabalhista.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar o resultado de um estudo que buscou compreender as vivências dos trabalhadores terceirizados de uma instituição pública em relação à precarização do trabalho e seus reflexos em suas atividades. Utilizou-se o método estudo de caso, abordagem qualitativa, de caráter descritivo, em quatro unidades da organização pública. Os resultados indicaram que, embora haja percepção da precarização do trabalho, os empregados apresentaram satisfação em trabalhar no órgão. A instituição poderá utilizar esses resultados como forma de aperfeiçoar a gestão e, por meio de pequenos ajustes, aprimorar as relações trabalhistas com esses colaboradores.

Biografia do Autor

Rosane Alves de Almeida Atayde, Defensoria Pública da União

Mestre em Gestão Estratégica de Organizações, Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília - IESB, Analista Administrativo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, atualmente cedida à Defensoria Pública da União

Referências

ALVES, G. Trabalho e nova precariedade salarial no Brasil: a morfologia social do trabalho na década

de 2000 (2000-2010). Oficina do CES, Coimbra, n. 381, p. 132, 2012. Disponível em:

uc.pt/publicacoes/oficina/ficheiros/6024_Oficina_do_CES_381.pdf>. Acesso em: 7 jul. 2020.

AMORIM, A. L.; FÉLIX, Y. S. A terceirização trabalhista na administração pública após a reforma

trabalhista. Revista Direito, São Paulo, v. 5, n. 6, p. 3350, 2018. Disponível em:

usjt.br/revistadireito/numero-6/3-antonio-amorim.pdf>. Acesso em: 3 nov. 2019.

AMORIM, H. S. A terceirização no serviço público: uma análise à luz da nova hermenêutica

constitucional. São Paulo: LTR, 2009. p. 248p.

ANTUNES, R. Na escravidão o trabalhador era vendido, na terceirização é alugado. [Entrevista

cedida a] Dimalice Nunes. Carta Capital, São Paulo, 17 maio 2017. Disponível em:

cartacapital.com.br/sociedade/201cna-escravidao-o-trabalhador-era-vendido-na-terceirizacao-elee-

alugado201d/>. Acesso em: 4 nov. 2019.

ANTUNES, R.; DRUCK, G. A terceirização como regra. Revista do Tribunal Superior do

Trabalho, Brasília, DF, v. 79, n. 3, p. 214231, 2013.

BELLO, D. S. Exigência constitucional de concurso público e a terceirização nas empresas públicas

e nas sociedades de economia mista controladas pela união: uma análise do decreto 9.507/2018 à

luz da constituição. Revista de Estudos Jurídicos e Sociais-REJUS, Cascavel, v. 1, n. 1, dez. 2018.

BIAVASCHI, M. B.; TEIXEIRA, M. O. Balanço da reforma trabalhista em perspectiva econômica, as

falácias dos argumentos de seus defensores e os impactos nas instituições públicas do trabalho. Revista

Jurídica Trabalho e Desenvolvimento Humano, Campinas, v. 2, n. 1, 1955, jul. 2019. Disponível

em: <http://revistatdh.org/index.php/Revista-TDH/article/view/44/17>. Acesso em: 6 ago. 2019.

BRASIL. Decreto nº 10.088, de 05 de novembro de 2019. Diário Oficial (da) República

Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 4 dez. 2019. Seção 1, p. 1. Disponível em:

<https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.088-de-5-de-novembro-de-2019-231356812>.

Acesso em: 2 mar. 2020.

BRASIL. Decreto-Lei nº 1.535, de 15 de abril DE 1977. Altera o Capítulo IV do Título II

da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a Férias. Brasília, DF: Presidência da República,

. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del1535.htm>. Acesso

em: 7 jul. 2020.

BRASIL. Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967. Dispõe sobre a organização da

Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa. Brasília, DF:

Presidência da República, [1967a]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/

decreto-lei/del0200.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.979 de 06 de fevereiro de 2020. Diário Oficial (da) República Federativa

do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 7 fev. 2020. Seção 1, p. 1, ed. 27. Disponível em:

<https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-13.979-de-6-de-fevereiro-de-2020-242078735>.

Acesso em: 24 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 13.429, de 31 de março de 2017. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil,

Poder Executivo, Brasília, DF, 31 mar. 2017b. Seção 1, p. 1, Ed. Extra. Disponível em:

planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13429.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.467 de 13 de julho de 2017. Diário Oficial (da) República Federativa do

Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 jul. 2017a. Seção 1, p. 1. Disponível em:

planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13467.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Previdência Social. 3º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios

por Incapacidade de 2015. Análise da Comunicação de Acidentes de Trabalho (CAT) no

período de 2010 a 2014. Brasília, DF: Ministério da Previdência Social, 2015. Disponível em:

<http://sa.previdencia.gov.br/site/2016/09/III-Boletim-2015.pdf>. Acesso em: 29 jul. 2019.

BRASIL. Tribunal Superior do Trabalho. Súmula nº 331. Locação de mão-de-obra. Terceirização.

Contrato de prestação de serviços. Legalidade. Responsabilidade subsidiária do tomador de

serviço. Brasília, DF: Tribunal Superior do Trabalho, 1993a. Disponível em: <http://www3.tst.jus.

br/jurisprudencia/Sumulas_com_indice/Sumulas_Ind_301_350.html#SUM-331>. Acesso em:

jul. 2019.

CARELLI, R. A terceirização no século XXI. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, Brasília,

DF, v. 79, n. 4, 232244, out./dez. 2013. Disponível em: <https://juslaboris.tst.jus.br/bitstream/

handle/20.500.12178/55996/012_carelli.pdf>. Acesso em: 2 ago. 2019.

CARVALHO, S. S. de. Uma visão geral sobre a reforma trabalhista. Mercado de Trabalho:

conjuntura e análise, Brasília, DF, n. 63, p. 8194, out. 2017. Disponível em:

ipea.gov.br/bitstream/11058/8130/1/bmt_63_vis%c3%a3o.pdf>. Acesso em: 3 set. 2019.

CASARTELLI, M. O.; COSTA, E. D. P. Terceirização na administração pública: precarização e

inaplicabilidade da Lei 13.429/2017. Revista Brasileira de Direito Social, Belo Horizonte, v. 1,

n. 2, p. 1628, nov. 2018. Disponível em: <http://rbds.ieprev.com.br/rbds/article/view/41/25>.

Acesso em: 19 nov. 2019.

CHAIB, D. C. A terceirização do trabalho no setor público: entrevistas com trabalhadores em

Minas Gerais. Revista Ciências do Trabalho, São Paulo, n. 12, p. 5573, 2018. Disponível em:

<https://rct.dieese.org.br/index.php/rct/article/view/176/pdf>. Acesso em: 15 jul. 2019.

CORSI, T. C.; MASTRODI, J. Trabalho terceirizado: sobre a precarização das condições de

trabalho a partir da Lei de Terceirização e da Reforma Trabalhista. Revista de Direito Econômico

e Socioambiental, Curitiba, v. 9, n. 3, p. 243270, dez. 2018. Disponível em:

pucpr.br/index.php/direitoeconomico/article/view/18318>. Acesso em: 9 set. 2019.

COUTINHO, G. F. Terceirização: máquina de moer gente trabalhadora. A inexorável relação

entre a nova marchandage e a degradação laboral, as mortes e mutilações no trabalho. São Paulo:

LTr, 2015.

DEJOURS, C. A banalização da injustiça social. Tradução: Luiz Alberto Monjardim. 7. ed. Rio

de Janeiro: FGV, 2007.

DIAS, J. A.; SILVA, T. N. da. A reforma trabalhista como mecanismo de reestruturação da

economia brasileira. Meritum, Belo Horizonte, v. 12, n. 2, p. 146157, jul./dez. 2017. Disponível

em: <http://www.fumec.br/revistas/meritum/article/view/5313>. Acesso em: 13 ago. 2019.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS

SOCIOECONÔMICOS. Impactos da Lei 13.429/2017 (antigo PL 4.302/1998) para

os trabalhadores: Contrato de trabalho temporário e terceirização. São Paulo, abr. 2017.

(Nota Técnica, n. 175). Disponível em: <https://www.dieese.org.br/notatecnica/2017/

notaTec175TerceirizacaoTrabalhoTemporario.pdf>. Acesso em: 18 set 2019.

DRUCK, G. et al. A terceirização no serviço público: particularidades e implicações. In:

CAMPOS, A. G. (Org.). Terceirização do trabalho no Brasil: novas e distintas perspectivas para

o debate. Brasília, DF: Ipea, 2018. cap. 16, p. 113141. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/

portal/images/stories/PDFs/livros/livros/180215_terceirizacao_do_trabalho_no_brasil_novas_e_

distintas_perspectivas_para_o_debate.pdf>. Acesso em 6 ago. 2019.

DRUCK, G. Terceirização: balanço de uma década. Caderno CRH, Salvador, n. 37, p. 111139,

jul./dez. 2002. Disponível em: <http://www.flexibilizacao.ufba.br/RCRH-2006-132graca.pdf>.

Acesso em: 2 ago. 2019.

GARCIA, S. R. Subcontratação. Terceirização. In: CATTANI, A. D.; HOLZMANN, L. (Org.).

Dicionário de trabalho e tecnologia. vol. 2. Porto Alegre: Zouk. p.311-314.

GOMES, V. C. J.; SANTOS, J. P. Terceirização à brasileira: desvirtuamento do conceito original

na terra tupiniquim e suas mazelas nas relações trabalhistas. Revista Científica UMC, Mogi das

Cruzes, v. 3, n. 3, p. 14, out. 2018. Disponível em: <http://seer.umc.br/index.php/revistaumc/

article/view/475/367>. Acesso em: 1 dez. 2019.

KREIN, J. D. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento

da ação coletiva: consequências da reforma trabalhista. Tempo social, São Paulo, v. 30, n. 1,

p. 77104, 2018. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ts/v30n1/1809-4554-ts-30-01-0077.

pdf>. Acesso em: 8 ago. 2019.

LACAZ, F. A. C. A (Contra) Reforma Trabalhista: lei 13.467/2017, um descalabro para a Saúde

dos Trabalhadores. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 3, p. 680680, mar. 2019.

Disponível em: < https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.01452019>. Acesso em: 6 jul. 2019.

LIMA, J. C.; MARTINS JUNIOR, A. Mobilidades diferenciadas e ilegalidades institucionalizadas:

tendências e contradições do trabalho na contemporaneidade. Tempo Social, São Paulo, v. 30,

n. 1, p. 3151, abr. 2018. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ts/v30n1/1809-4554-

ts-30-01-0031.pdf>. Acesso em: 9 set. 2019.

MARTINS, M. et al. A psicodinâmica do reconhecimento no trabalho de informática de

terceirizados de uma instituição pública. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, São

Paulo, v. 15, n. 3, p. 244251, 2017. Disponível em: <https://cdn.publisher.gn1.link/rbmt.org.br/

pdf/v15n3a09.pdf>. Acesso em: 5 ago. 2021.

OLIVEIRA, F. et al. Pesquisa-intervenção participativa com trabalhadores da Unidade de

Manutenção de uma universidade pública: precarização, memória e resistência. Revista Brasileira

de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 327345, ago. 2018. Disponível em:

org/10.1590/2317-6369000012518>. Acesso em: 20 nov. 2019.

PASSOS, R. G.; NOGUEIRA, C. M. O fenômeno da terceirização e a divisão sociossexual e racial

do trabalho. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 484503, set./dez. 2018. Disponível

em: <https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n3p484>. Acesso em: 12 set. 2019.

PASTORE, J. Terceirização: uma realidade desamparada pela lei. Revista do Tribunal Superior

do Trabalho, Porto Alegre, v. 74, n. 4, p. 117135, out./dez. 2008. Disponível em: https://hdl.

handle.net/20.500.12178/5386. Acesso em: 13 ago. 2019.

PEREIRA, M. E. R.; BIZARRIA, F. P. A.; TASSIGNY, M. M. Desafios e perspectivas da gestão do

trabalho na política pública de assistência social brasileira. Gestão e Sociedade, Belo Horizonte,

v. 13, n. 35, p. 28392869, maio/ago. 2019. Disponível em: <https://www.gestaoesociedade.org/

gestaoesociedade/article/view/2380>. Acesso em: 12 out. 2019.

PEREIRA, M. S. Os processos de precarização do trabalho e seus reflexos no adoecimento de

trabalhadores brasileiros: um estudo de caso. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia,

Belo Horizonte, v. 11, n. 2, p. 208220, 2018. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.36298/

gerais2019110203>. Acesso em: 27 jul. 2019.

POCHMANN, M. Uma nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São

Paulo: Boitempo, 2012. 127 p.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico: Métodos e

técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

ROCHA, A. P. P.; NASCIMENTO, A. J. M. do. A Lei nº 13.429/2017, a Súmula TST nº 331

e o Futuro. Revista do Ministério Público do Trabalho, Brasília, DF, n. 52, p. 211228, 2018.

Disponível em: <http://www.anpt.org.br/attachments/article/3367/Revista%20do%20MPT%20

n.%2052.pdf#page=211>. Acesso em: 14 set. 2019.

SCHERER, C. Diálogo e proteção social: a negociação coletiva após a Reforma Trabalhista. In:

KREIN, J. D.; OLIVEIRA, R. V.; FILGUEIRAS, V. A. (Org.). Reforma Trabalhista no Brasil:

promessas e realidade. Campinas: Curt Nimuendajú, 2019. p. 181199. Disponível em:

cesit.net.br/wp-content/uploads/2019/09/Livro-REMIR-v-site.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2020.

SILVA, M. S. F. Alterações na terceirização: as inovações das Lei nº 13.429/2017 e nº

467/2017 e o julgamento do STF. Revista eletrônica do Tribunal Regional do Trabalho

da 9ª Região, Curitiba, v. 7, n. 72, p. 106114, out. 2018. Disponível em: <https://hdl.handle.

net/20.500.12178/149655>. Acesso em: 15 out. 2019.

SIRELLI, P. M. A vivência do tempo em uma plataforma de petróleo: terceirização, precarização

e intensificação do trabalho. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES

EM SERVIÇO SOCIAL, 16., 2018, Vitória. Trabalho, questão social e Serviço Social:

Anais…. Vitória: Ufes, 2018. p. 114. Disponível em: <http://periodicos.ufes.br/abepss/article/

view/23234/15996>. Acesso em: 13 out. 2019.

SIRELLI, P. M. O preço do óleo: terceirização, precarização e vivência do tempo no trabalho

offshore. 2015. 372 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Faculdade de Serviço Social,

Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

ZAINAGHI, L. G. K. A evolução da terceirização: da 2ª Guerra Mundial à Lei 13.467/2017.

Revista de Direito do Trabalho, Brasília, DF, v. 44, n. 191, p. 75, jul. 2018. Disponível em:

<https://hdl.handle.net/20.500.12178/151931>. Acesso em: 14 ago. 2019.

Downloads

Publicado

03-12-2021

Como Citar

Atayde, R. A. de A. (2021). O trabalhador terceirizado e a percepção da precarização do trabalho: um estudo de caso em uma instituição pública brasileira. Revista Da Defensoria Pública Da União, (16), 221-240. https://doi.org/10.46901/revistadadpu.i16.p221-240

Edição

Seção

DIREITO À SEGURIDADE SOCIAL E TRABALHO